tempo de oportunidades

tempo de oportunidades

domingo, setembro 17, 2017

Liberdade Religiosa: não use inadequadamente o nome de Jesus




Por Célio Barcellos

As recentes afrontas a Terreiros de Candomblé no Rio de Janeiro, fez acender a luz vermelha no que se refere a Liberdade Religiosa no Brasil. Logo, nesse querido país gabado por todos em função da alegria e hospitalidade de sua gente!? Um país que prefere a diplomacia ao invés da guerra; que abre as portas ao estrangeiro como a nenhum outro, onde o negro e o branco, o católico e o protestante vivem sem muitos problemas. 
Desde a abertura dos portos brasileiros para a Inglaterra em 1808, o Brasil passou a receber diversos missionários de várias frentes religiosas que passaram a fincar bandeiras em seu solo. A iniciativa da família real portuguesa em ceder aos préstimos dos ingleses, fez com que os 300 anos de hegemonia católica fosse distribuída para diversas outras confissões. 
A partir da República com a separação entre Igreja e Estado, definitivamente, as igrejas evangélicas se expandiram. De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas (IBGE), o numero de evangélicos aumentou mais de 60% em 10 anos. Se analisar o crescimento em cada decênio a partir dos anos 80, ficaria assim: 1980 = 6,6%; 1991 = 9%; 2000 = 15,4% e em 2010 = 22,2%.
Na comparação dos dois últimos Censos, levando em consideração o numero de adeptos, seria o seguinte: Em 2000, 26,2 milhões de brasileiros se disseram evangélicos e em 2010 o numero saltou para 42,3 milhões. Numa população de 170 milhões de brasileiros, os números não deixam de ser interessantes.
Na abordagem do ultimo censo realizado (2010), o (IBGE) chegou aos seguintes dados no que se referem a fé da população brasileira:

  1. Católica Apostólica Romana = 123.280,172
  2. Evangélicas = 42.275,440
  3. Espírita = 3.848,876
  4. Umbanda, candomblé e religiões afrobrasileiras = 588,797
  5. Outras religiões = 5.185,065
  6. Sem religião = 15.335,510.
  Um olhar atento a esses números deveria fazer com que cada brasileiro, religioso ou não, pudesse observar com mais respeito a quem fosse adepto ou não de alguma religião. Se alguém professa algo é porque existe uma crença. E na liberdade de crença e de expressão é possível de forma civilizada e respeitosa proclamar o que se acredita. Neste caso, tanto católicos, evangélicos, candomblecistas, ou qualquer seguimento religioso, pode usufruir desse direito.
Se cada brasileiro, fizer uma viagem ao passado, descobrirá que em sua árvore genealógica, no que se refere a religiosidade, há parentes católicos, religiões de matriz africana e até religiões do ponto de vista indígena - um verdadeiro sincretismo como em Atenas ou em todo o império romano.
Particularmente, sou de origem católica e agradeço pela formação que tive. Apesar de minha vó (pessoa que me criou com dedicação) transitar entre o catolicismo e os terreiros, preferi o centro paroquial ao centro do candomblé. Quando ela se arriscava em me lavar a um terreiro, passava a maior vergonha, pois eu não me sentia bem e causava o maior vexame na velhinha.
À medida em que fui crescendo, a importância do sagrado esteve sempre presente em minha vida. Inclusive o de respeitar outras religiões, mesmo não concordando com as mesmas. Aproveitando da liberdade que todo ser humano tem direito, há mais de duas décadas, estou num seguimento protestante e não tenho nenhum interesse em maltratar ou obrigar qualquer pessoa a ferir as suas crenças. 
Se vivêssemos no primeiro século da era cristã, certamente, o candomblé e tantas outras religiões de matriz africana, seriam classificadas como sendo "religiões de mistério”. Naquele contexto, elas seriam mais aceitas do que o próprio cristianismo, uma vez que o mundo e a cultura pagã não tinham dificuldades em aceitar por exemplo, a iniciação ao mitraísmo, quando o indivíduo tomava o banho de sangue chamado de tourobólio (era o chamado batismo de sangue, exigência daquele seguimento). 
Mesmo que religiões de matriz africana, se utilizem de mistérios e venham a se encaixar na categoria de seitas, devem, assim como todo seguimento religioso ser fiscalizadas pelo Estado. Nenhum cidadão, especialmente o que professa o cristianismo, tem o direito de anular com as próprias mãos, os idosos ou entidades de segmentos que os utilizam. 
A obrigação de cada cristão que professa o nome de Jesus é pregar o evangelho com amor e aproveitar a liberdade que o país oferece. Faça como o apóstolo Paulo por ocasião de sua visita em Atenas. Ao invés de destruir os ídolos, aproveitou um gancho e contextualizou o evangelho no momento em que lhes deram a oportunidade de discursar (Atos 17:16-34).
Portanto, use  adequadamente o nome de Jesus. Não faça justiça com as próprias mãos!  Ele, o único Ser que poderia destruir tudo e a todos, preferiu a tolerância e o amor. Pregue o evangelho sem distratar ou obrigar as pessoas! Por favor! Não seja intolerante. Isso nunca foi o sentido do evangelho e nem a mensagem do Cristo. Deixe o acerto de contas com Ele. Afinal, quem melhor do que o Cristo para separar as ovelhas dos bodes?

sexta-feira, setembro 08, 2017

Após o terremoto, virá o resgate


Imagem: historia-portugal.blogspot.com


Por Célio Barcellos

Por ocasião da ressurreição de Jesus, aconteceu uma ação sobrenatural. Tão logo inicia o primeiro dia da semana, surge um grande terremoto, que deixou as mulheres presentes estupefatas, por tamanho poder e presença do ser angelical  naquele momento (Mt 28:1,2).
Do ponto de vista sísmico, terremotos sempre existiram na terra. Seja em maior ou em menor escala, esses acontecimentos são frequentes pelo planeta.  É claro que, à semelhança do ocorrido tanto na Flórida (EUA) quanto em países da América Central, sobretudo o Mexico, o que se viu foi um rastro de destruição e morte.
Tragédias como essas só não são maiores no que se referem a pessoas, em função do aparato tecnológico que preventivamente alerta acerca de tempestades e furacões que se aproximam. Os avisos prévios, são a oportunidade para muita gente procurar um local mais seguro e se ver mais protegida por iminente destruição. 
A partir de 1755, por ocasião do terremoto de Lisboa, deu-se início aos primeiros estudos científicos aos impactos sismológicos. Para se ter uma ideia, a tragédia em Lisboa, atingiu a magnitude de cerca de 9 pontos na escala Richter. Há quem diga que o numero de mortos ficou entre 10 mil a 90mil.
Ao assistir o noticiário e observar o relato das pessoas no ocorrido recente, percebi o quanto somos indefesos e ao mesmo tempo o quão pouco vale a riqueza em face a tragédias como essas. Um exemplo claro é o de brasileiros que se encontram na Florida e estão desesperados para retornar ao país. E quem reside ou são naturais de Orlando ou de países da América Central e não tem para onde ir? 
Em momentos como esse, surgem os aproveitadores de plantão superfaturando tudo e dificultando as coisas. À semelhança do que aconteceu em Mariana/(MG) quando muitos superfaturaram a água e tantos itens de extrema necessidade, as empresas aéreas elevaram os preços a ponto de uma passagem de Orlando ao Brasil, custar 10 mil reais. Que mundo cão! Que capitalismo voraz!
Tragédias dessa magnitude, deveriam ser  suficientes para desfazer as intenções de regimes insanos como o de Pyongyang na Coréia do Norte e tantos Trumps e Putins por ai. No entanto, assim como esses, o coração humano possui maldades em suas diversas facetas. Como conviver em paz, se o mundo vive em constante guerra? Como fugir de terremotos se somos assombrados com ameaças atômicas?
Apesar de toda a maldade que se alastra sobre o Terra, a ponto de querer destrui-la, há pessoas que ignoram os riscos e se comprometem com o bem. Procuram ser bálsamo ao coração e almas aflitos. Certamente, assim como em outras catástrofes, muitos voluntários e ONGs já montaram seus acampamentos e estão a ajudar aqueles que no momento estão desnorteados por tamanha tragédia e prejuízos. 
Por fim, apesar de estudiosos simplesmente atribuirem os desastres e terremotos como meros fenômenos naturais, fiquemos ligados, pois a qualquer momento, a maior intervenção sobrenatural ocorrerá. Desta vez, não será um terremoto que deixará estupefatas mulheres isoladas, mas toda a Terra será maravilhada e ao mesmo tempo assombrada com tamanho poder.

Continue a crer! É a única forma de escape. Quando a sirene for tocada e as catástrofes atingirem em cheio as cidades e vilas, com o objetivo de limpar o planeta; os que se aperceberam e não se deixaram levar por humanistas que prometiam a solução para tudo, mas permaneceram atentos aos sinais e à Palavra dAquele que não falha, poderão dizer: Obrigado Senhor, por esse tremendo resgate!

quarta-feira, setembro 06, 2017

Independência ainda que tardia




Por Célio Barcellos


Cento e noventa e cinco anos após o grito, os gritos ainda ecoam.
Não de soldados e comitiva eufóricos numa tropa por liberdade,
Mas de homens e mulheres, reféns de uma ímpia impunidade.
Oh, independência! Venha de verdade para o nosso Brasil!

Até quando? bêbados, loucos e desvairados sairão escancarados
Debochando de tudo e todos, após um culposo assassinato?
Até quando? maníacos não castrados, ejacularão no rosto
De um povo refém de código ultrapassado?

Oh, Brasil! Faça valer o seu grito às margens do Ipiranga.
Um arroio barrento, chamado “rio vermelho”.
Nem se compara com os riachos de sangue 
Que diariamente transbordam da violência insana.

Oh, Brasil! Como gritar bem alto se somos sufocados?
Somos pisoteados na garganta, impedidos de clamar.
Pra quem gritar? Com quem gritar, imenso Brasil?
Será que és Colônia, como sugere alguns?

Deitar "eternamente em berço esplendido” é real!
Porém, somente aos nobres e de sangue azul.
Os marqueses, condes e barões… esses sim:
Fulguram intocáveis com os seus milhões!

Não é lenda urbana e nem conto de fadas.
É muita grana mesmo!
No bairro da Graça, área nobre de Salvador,
O que se viu na terça, foi um tremendo horror.

Oh, Brasil! Independência e norte.
Se não abrires teus olhos,
O que restará para o seu povo,
Será tão somente a miséria e a morte.


sábado, setembro 02, 2017

O ser humano é lindo e colorido


Foto: Adriana Duque - revista de bordo da Gol, voo de Vitória/ES x Galeão/RJ, 31/08/17.

Por Célio Barcellos
 
Nos anos 90, Conceição da Barra/ES, era conhecida como possuidora do terceiro melhor carnaval de rua do Brasil. Naqueles idos, havia uma banda bastante frequente e que eletrizava o público. A princípio chamava-se "Revelação", tendo como líder um cara chamado Detinho. Depois, surge com o nome de Banda Auê.
A Banda Auê fez história nas ruas daquele balneário. Até hoje, ainda é tocada a música “Amor de Verão”. Grande sucesso em homenagem a Conceição da Barra. Dentre os seus componentes, havia um jovem apelidado de “Negro Lindo”, que era habilidoso na percussão. 
Quero tomar a liberdade e dizer: Que negra linda da foto acima! À Adriana Duque, autora da foto, só tenho a dizer: parabéns por essa preciosidade! Não resisti e tirei uma foto da revista de bordo da empresa e transportes aéreos Gol.
Que maravilhoso saber que o ser humano é colorido. Seria muito chato um monte de gente com um único tom de pele, um único tipo de cabelo e uma única cor de olhos. Que bom olhar para a diversidade que temos e poder contemplar a beleza da humanidade.
Para o racista, olhar para um negro é apavorante. E se o mesmo, possuir olhos azuis da "cor do céu" ou "verdes da cor do mar", imagino que o racista se desespera. Não por ter visto algo estranho, mas por fúria e inveja mesmo.
Ninguém pediu para nascer! Muito menos escolheu a cor da pele, o tipo de cabelo ou cor dos olhos. Alguns tiveram a sorte de nascer em berço de ouro, mas isso não deveria ser tudo. Pelo contrário, deveria ser motivo de responsabilidade para fazer do mundo um lugar melhor para que todos pudessem viver de forma harmoniosa. 
Sem contar, que muitos existem na forma da brutalidade. Se rememorarmos a nossa história, veremos que muitas linhagens surgiram de abusos e estupros. Os conquistadores, além de explorar os recursos, faziam miséria com as negras e índias. Eram bárbaros e insanos. Uns verdadeiros trogloditas. 
Como povo brasileiro, se olharmos para a nossa história, perceberemos que apesar da brutalidade dos conquistadores, ainda assim, precisamos ser gratos a Deus e à vida. É preciso olhar a vida na perspectiva do evangelho. A Bíblia fala que o "evangelho é o poder de Deus para  a salvação de todo aquele que crer” (Rm 1:16).
No evangelho há transformação. Apesar das fraquezas e falta de caráter humanos, Deus é capaz de transformar um passado sombrio em presente de luz; Ele pega uma tragédia e através da Sua graça, proporciona novos rumos. Um detalhe a mais! através da vontade de um sonhador, Ele pode transformar os rumos de uma nação - (Martin Luther King Jr. e tantos outros são exemplos disso).
Portanto, que nós brasileiros tenhamos a noção de que na mistura do europeu com o índio, surgiu o mameluco - povo corajoso, que singrou rios e desbravou as matas em direção ao oeste; Na mistura do negro com o branco, surge o mulato, responsável pela economia litorânea; e na mistura do índio com o negro, surge o cafuzo.
Esse país é tão maravilhoso que abriu e continua a abrir as portas para os diversos imigrantes que adentram as suas fronteiras. Não há motivos para segregação ou racismo. Se porventura, passar por sua cabeça algo nesse sentido, se coloque no lugar do outro e pergunte: E se eu fosse ele, como gostaria  que me tratassem? 
Lembre-se: as cores são diversas e você faz parte da beleza das mesmas. Só um detalhe: não desfaça de ninguém!  vocês podem ser parentes e de uma mesma linhagem. 
Viva o povo brasileiro! Somos de uma única raça - a raça humana. 

ARTIGOS ESPECIAIS -:)